sexta-feira, janeiro 21, 2005

Frederic Nietzsche - Guerreiros e mulheres



DA GUERRA E DOS GUERREIROS

"Nao nos preocupamos em ser poupados pelos nossos melhores inimigos,nem tao-pouco por queles a quem amamos do fundo do coraçao.Deixai-me,portanto,dizer-vos a verdade.
Guerreiros,meus irmaos,amo-vos de todo o coraçao.Eu sou semelhante a vós,sempre o fui.E sou também o vosso melhor inimigo.Deixai-me,portanto,dizer-vos a verdade.
Conheço o ódio e a inveja que vivem nos vossos coraçoes.Nao tendes suficiente grandeza de alma para ignorar o ódio e a inveja.Sede,portanto,bastante grandes para vos nao envergonhardes disso!
E se nao podeis ser santos do Conhecimento,sede ao menos os seus guerreiros.Os guerreiros do Conhecimento,que sao os companheiros e os precursores dessa santidade.
Vejo muitos soldados:oxalá,possa ver muitos guerreiros.Chama-se "uniforme" aqulio que vestem;nao seja porém,"uni-forme" oque esse trajo oculta.
Desejo que sejais daqueles cujo olhar está sempre à procura de um adversário-do vosso adversário.E nalguns de vós se descobre o ódio´`a primeira vista.
Procurai um inimigo,fazei a vossa guerra,uma guerra por vossos pensamentos.E se o vosso pensamento sucumbe,que a vossa probidade,ao menos cante vitória.
Amai a paz como um meio de novas guerras,e a paz breve mais do que a prolongada.
Nao vos aconselho o trabalho,mas a luta.Nao vos aconselho a paz mas a vitória,Seja o vosso trabalho uma luta,seja a vossa paz uma vitória!
Dizeis que é a boa causa que santifica a própria guerra?Mas eu vou-lo digo,é a boa guerra que santifica todas as causas.
A guerra e a coragem fizeram mais coisas grandes do que a caridade.Nao foi a vossa piedade,mas a vossa bravura que até hoje socorreu os miseráveis.
"O que vem a ser o bem?"perguntais.O bem é ser valente.Deixai as meninas dizer:"o bem é o que é ao mesmo tempo bonito e tocante".



Chamam-vos gente sem coraçao;mas o vosso coraçao çe sincero,e a mim agrada-me o pudor da vossa cordialidade.Nao tendes vergonha da vossa superabundâcia,como outros têm pudor da sua indigência.
Sois feios?Seja,meus irmaos.Envolvei-vos em sublime;é o manto da fealdade.
E quando a vossa alma cresce,torna-se presunçosa,e na vossa grandeza há maldade.Conheço-vos.
O que precisais,sao inimigos para odiar,nao inimigos para desprezar.Deveis sentir-vos orgulhosos do vosso adversário.Entao os triunfos do vosso adversário serao também os vossos.
A revolta é a nobreza do escravo.Seja a obdiência a vossa nobreza.Seja a obdiência o vosso próprio mandato.
Para um verdadeiro guerreiro,"tu deves" soa melhor do que "eu quero".Mesmo aquilo de que mais gostais,fazei-o como se vo-lo ordenassem.
Que o vosso amor á vida seja amor pela vossa mais elevada esperança,e que a vossa mais elevada esperança seja o mais alto pensamento da vida.
Mas o vosso mais alto pensamento,deveis ouvi-lo de mim,e é este:o homem é aquilo que deve ser superado.
Vivei assim a vossa vida de obdiência e de guerra.Que importa que a vida seja longa!Que guerreiro quererá poupar-se?
Nao uso de branduras convosco,amo-vos de todo o coraçao,guerreiros,meus irmao.
Assim falava Zaratustra.



DAS MULHERZINHAS NOVAS E VELHAS

"Porque deslizas tao furtivamente ao crepusculo,Zaratustra?E que escondes com tanto cuidado debaixo da tua capa?É algum tesouro que te deram?Ou um filho que te nasceu?Ou seguirás agora pelos atalhos dos ladroes,tu o amigo dos maus?"
-Na verdade,meu irmao-Respondeu Zaratustra-Foi um tesouro que me deram,uma pequena verdade que levo comigo.
Mas é rebelde como uma criança;e se nao lhe tapasse a boca,gritaria desaforadamente.
Caminhava eu hoje solitario pelo meu caminho,á hora em que o sol declina,quando encontrei uma velhinha que falou assim á minha alma:
"Zaratustra muitas vezes se dirigiu a nós,as mulheres,mas nunca falou das mulheres".
E respondi-lhe:"é só aos homens que se deve falar das mulheres."
"Tambem me podes falar das mulheres-disse ela,"sou bastante velha para esquecer tudo logo a seguir".
Acendendo ao desejo da velhinha disse-lhe assim:"na mulher tudo é um enigma,mas este enigma tem soluçao;e essa soluçao é a maternidade.
Para a mulher o homem é um meio;o fim é sempre o filho.Mas o que é a mulher para o homem?
O homem digno deste nome só ama duas coisas:o perigo e o jogo.É por isso que ele deseja a mulher,que é o brinquedo mais perigoso.
O homem deve ser educado para a guerra,a mulher para o prazer do guerreiro:fora disto tudo é loucura.



O guerreiro nao gosta dos frutos adocicados.É por isso que ele ama a mulher;a mulher mais doce tem sempre o seu que de amargo.
A mulher melhor do que o homem,compreende as crianças;mas o homem é criança,mais do que a mulher.
Em todo o homem digno deste nome se oculta uma criança,que deseja brincar.Eia,mulheres,procurai descobrir a criança encondida no homem!
Seja a mulher um brinquedo puro e delicado,semelhante ao diamante,cintilando com as virtudes de um mundo que ainda nao existe.
Fazei cintilar no vosso amor o fulgor de uma estrela remota.Que a vossa esperança seja:"Nasça de mim o Super-homem!"
Seja corajoso o vosso amor!Fortalecidos com o vosso amor,enfrentai aquilo de que tendes medo.
Cifre-se a vossa honra no vosso amor!Geralmente a mulher pouco entende de honra.Mas a vossa honra é amar mais do que fordes amadas e nunca serdes as segundas.
Tema o homem a mulher quando a mulher ama:ela nao recuará diante de nenhum sacrificio,e tudo o mais lhe parecerá sem valor.
Tema o homem a mulher,quando a mulher odeia:porque no fundo,o homem é maldoso;mas a mulher é preversa.
Qual é o homem que a mulher odeia acima de todos os demais?O ferro disse um dia ao Íman:"é a ti que odeio mais do que tudo;atrais-me,mas nao tendes força bastante para me sujeitar".
A felicidade do homem está em poder dizer:"Eu quero".A felicidade da mulher está em dizer:"Ele quer".
"Até que enfim o mundo acaba por atingir a perfeiçao",tal é o pensamento de todas as mulheres no instante em que se submetem por amor.
E a mulher tem necessidade de obedecer e de dar uma profundidade á sua superficie.A alma da mulher é superficial,é uma superficie movediça e agitada sobre uma grande profundidade.
Mas a alma do homem é profunda,a sua corrente brame em grutas subterraneas;a mulher presente essa força, mas nao a compreende"
Entao a velhinha respondeu-lhe:"Zaratrusta,disse coisas muito agradaveis,sobretudo para as que sao bastante novas para isso.
Coisa estranha Zaratustra conheçe pouco as mulheres,e contudo julga-as bem.Será porque em materia de mulheres nao ha nada impossivel?
Aceita agora em troca uma pequena verdade.
Sinto-me sufecientemente velha para ta dizer.
Embrulha-a bem e tapa-lhe a boca com receio que ela grite demasiado alto,essa pequena verdade."
"Dá-me,ó mulher essa pequena verdade!"Disse eu.E a velhinha falou assim:
"Frequentas as mulheres?Nao te esqueças do chicote!"