sexta-feira, maio 27, 2005

Correio da manha entrevista - skinhead

2005-05-27
English Version:
http://caodamorte.blogspot.com/2005/05/interview-to-skinhead-mrio-machado.html

Se a situação se agravar podemos voltar a Coruche

foto por:Vítor Mota


Mário Machado


Mário Machado, segurança, foi um dos cinco cabeças-rapadas identificados sexta-feira pela GNR de Coruche. Diz que foi ao local para ajudar a população e promete voltar com mais ‘skins’ caso os confrontos se repitam com a comunidade cigana.

Correio da Manhã – Qual foi a vossa intenção, em Coruche, na semana dos incidentes com famílias ciganas?


Mário Machado – Queríamos apoiar a população. Achámos que estavam a sofrer represálias da comunidade cigana. Ameaçaram que se iam juntar para enfrentarem a população branca de Coruche. Como brancos, devíamos ajudar, já que as forças de segurança não correspondem às expectativas. Deslocámos cinco nacionalistas para averiguar quantas pessoas seriam precisas e qual a gravidade da situação. Fomos identificados na esplanada do café, meia hora depois de termos chegado. Não tínhamos uma única arma.

Pensam voltar?

– Se a situação se agravar, sim. E desta vez, com mais gente. Depois da nossa presença, em Coruche, trinta pessoas registaram-se no Fórum. O que mostra que somos necessários.

Mas o que é que querem fazer à comunidade cigana?

– Queremos que compreendam que esta não é a terra deles. Para estarem aqui têm de se comportar segundo as normas da sociedade.

Na internet queixam-se de perseguição pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR (NIC). Porquê?

– Há um guarda, que será do NIC, que tem movido uma guerra contra alguns elementos nacionalistas. Temos provas disso, nomeadamente fotografias tiradas pela GNR depois de sermos detidos na Skinhouse de Loures e que estão em segredo de justiça. Essas fotos foram mostradas a indivíduos de extrema-esquerda e a indivíduos que odeiam os nacionalistas. Só que eles vieram dizer-nos o que se estava a passar. Ele faz acusações muito graves, fala sobre a nossa vida sexual, diz onde trabalhamos. Temos um caso mais grave, que foi ele facultar fotos aos ‘ocupas’ (de extrema-esquerda) dos nossos locais de trabalho. Isto começa a atingir o limite, quando a polícia deixa de se preocupar com os criminosos, como em Coruche. E estão preocupados que nacionalistas façam um concerto, onde não foi apanhada uma única arma, não se fumou uma única droga e não se cometeu crime algum. Os nacionalistas não têm liberdade de expressão.

O que é que estavam a fazer na Skinhouse (sede) de Loures quando, a 26 de Junho de 2004, foram detidos?

– Estávamos a celebrar uma festa de anos, como facilmente a GNR pôde comprovar. Quando entraram ilegalmente no nosso espaço, às 02h00, entraram com uma câmara e puderam filmar o bolo de aniversário e viram o B.I. da aniversariante em questão. Infelizmente, um semana depois do concerto do Euro, entraram na Skinhouse numa festa anos e hoje somos acusados de crimes contra a humanidade por termos feito um evento cultural, um concerto de música.

No concerto de Poceirão, a 7 de Maio, houve um grande o aparato policial.

– Que não se justificou. Não ocorreu um único incidente. Temos a preocupação de realizar os maiores eventos longe dos centros urbanos, para não sermos facilmente provocados, por agentes provocadores. Se nos deslocamos 60km, é para estarmos e deixarmos todos sossegados. Infelizmente não vi a mesma GNR em Coruche, quando a população o solicitou. Somos tratados como criminosos e os imigrantes criminosos como as vítimas. É lamentavel.

Após o concerto, a GNR fez uma operação ‘stop’ que não detectou nenhum condutor alcoolizado.

– Seguindo o espírito de mente sã em corpo são, as pessoas não exageraram no consumo alcoólico. Os condutores que se submeteram ao teste acusaram 0,0 de álcool. Gostaria que tais operações policiais se fizessem à saída da Festa do Avante, ou das festas do Bloco de Esquerda, e que nos mostrassem os resultados.

Cumpriu pena pelo homicídio de Alcindo Monteiro no Bairro Alto. Recorde-me essa noite.

– Estavamos a festejar o Dia de Portugal quando um grupo de negros se acercou de um grupo de ‘skins’. Eles tentaram atacar os ‘skins’ que foram de imediato pedir ajuda aos camaradas. Estalou uma batalha racial nas ruas do Bairro Alto, onde negros procuravam ‘skins’, e ‘skins’ negros para a confrontação. Foi um negro a morrer e não um ‘skin’. Se fosse ao contrário, um branco a morrer, era apenas mais um crime. Mas como foi uma “vítima da colonização e dos nossos atepassados que foram para África”, caiu o céu e a trindade. Foram condenados a 203 anos de cadeia por uma morte. Já morreram 355 portugueses na África do Sul, e nunca vi ninguém ser julgado por genocídio.

"SOMOS FACILMENTE PROVOCADOS"

Como é que a comunidade ‘skin’ se organiza em Portugal?

– Noventa por cento do universo ‘skinhead’ não está organizado. Os outros 10 por cento organizam eventos a que a maioria responde.

Existe uma hierarquia?

– Não existe uma hierarquia no movimento, mas pessoas com provas dadas são normalmente reconhecidas e essas têm mais influência nos destinos da causa e mais peso do que os ‘skins’ menos operacionais.

É verdade que dentro da organização Hammerskin, para se subir na hierarquia tem de se cometer um crime?

– Sobre isso não é permitido nenhum nacionalista falar. E eu vou cumprir essa directiva.

O movimento ‘skinhead’ está ligado ao Partido Nacional Renovador?

– Sim. O movimento está ligado a todos os partidos políticos europeus que defendam os interesses nacionais e étnicos da população nativa. Mas também existem ‘skins’ que odeiam o PNR devido a problemas internos. O movimento está mais ligado à Frente Nacional, e esta ao PNR.

Quais são os objectivos da vossa organização?

– Posso falar sobre a Frente Nacional. Militamos na apresentação da alternativa nacionalista, de combate ao sistema pro-globalização Não somos nem de esquerda nem de direita, somos contra o sistema da destruição nacional.

Por que é que vos associam à violência?

– Porque infelizmente se um nacionalista cometer um crime, foi um crime nacionalista. Se for um comunista, foi apenas um indivíduo. Nós não somos provocadores, somos é facilmente provocados.

PERFIL

Mário Machado, de 28 anos, entrou aos 13 para a Juventude Leonina, uma das claques do Sporting. Deixou-se ir na moda dos ‘skinheads’, porque, diz, “gostava da maneira de vestir”. Os livros e a ideologia vieram mais tarde. Hoje é um apaixonado por Hitler.

Segurança de profissão, foi condenado, em 1997, a uma pena de prisão de quatro anos e três meses por envolvimento na morte de Alcindo Monteiro – crime ocorrido em 1995, no Bairro Alto, em Lisboa, e que levou à condenação, no Tribunal Criminal de Monsanto, de 17 cabeças-rapadas. Mário Machado consta dos registos criminais das polícias europeias.
Sónia Simões

quarta-feira, maio 25, 2005

Treino - Suplementação - Nutrição: Shop



"Gostaria de me colocar á disposição de todos os interessados em verem respondidas as suas duvidas e questões relativas a todos os aspectos relacionados com treinos, suplementação dietética e nutrição.Essa é a minha ocupação profissional, colocando-me então á disposição dos interessados.
Acrescento aos que utilizam suplementos, que disponho de todo o tipo de artigos, a 'preços Nacionalistas', ou seja cerca de 50% ou mais abaixo dos preços praticados nos ginásios ou lojas diéteticas."
Contactar utilizador "DespertaPortugal" do www.forum-nacional.net, através de mensagem privada, acreditem que merece a pena, quer os preços, quer a qualidade, e é um camarada de valor por isso podem confiar.

segunda-feira, maio 23, 2005

A mulher e a arma - a dupla perfeita

domingo, maio 22, 2005

Forum Nacionalista - Um sucesso



Em 20 Abril 2005 foi criado o www.forum-nacional.net, 13 meses depois, o forum é sem duvida o maior doutrinador nacionalista de que tenho memória, a maior fonte de progaganda, informação, servindo para dinamizar o movimento nacionalista, para se conhecer pessoas de locais mais remotos, que de outra maneira seria quase impossivel entrar em contacto com eles, ou eles com as nossas ideias.
Temos hoje 3.000 utilizadores registados, 22 moderadores, uma media de 6500 pessoas que visitam o nosso forum mensalmente, com um total mensal de visitas que ronda as 10.500, estão colocadas cerca de 36.500 mensagens, existem tópicos com milhares de visitas, tendo o mais visto 40.000 visitas, milhares de mensagens privadas foram trocadas entre utilizadores,
teve a sua quota parte de mérito na formação de grupos como a Frente Nacional, eventos culturais, sociais, politicos e desportivos, foram vendidos 20.000 autocolantes do forum, sucederam-se as entrevistas na sic, reportagens em jornais e revistas sobre o mesmo, centenas de pessoas se adicionaram em programas de msn-messenger entre outros, está inclusivé a ser responsavel por namoros entre utilizadores que se conheceram através do forum-nacional.
Depois do sistema democrático nos ter encerrado os outros 2 foruns, este foi alojado nos EUA, pais com liberdade de expressão, e apesar de todos os mails que o servidor tem recebido de Portugal a solicitar o encerramento do mesmo, estes têm mantido o forum on-line.
Tenho, e isto sem exagero, aumentado e em muito o meu conhecimento em várias areas, e posso mesmo dizer que como pessoa, me sinto mais inteligente e douto, por ter ao meu alcance milhares de tópicos livres de censura, escritos por pessoas livres de espirito, sem preconceitos do politicamente correcto, e pessoas que não estão lobomotizadas pelo pais sob ocupação sionista, a todos os que escrevem no forum nacional, o meu muito obrigado por contribuirem para o meu bem estar, como diz um amigo meu:"Forum Nacional - A colaborar com a Liga Portuguesa de Higiene Mental deste 20 de Abril de 2004."
www.forum-nacional.net

sexta-feira, maio 20, 2005

Coruche Vs Ciganos



AJUDEM CORUCHE...ANTES QUE SEJA TARDE!

A população de Coruche, cansada, revoltada e desesperada com todos os acontecimentos verificados neste concelho, vem por este meio solicitar ao Sr. Ministro da Administração Interna e ao Comandante Geral da Guarda Nacional Republicana, que de uma vez por todas olhem para a nossa infeliz realidade e que tomem medidas enérgicas e urgentes, sob pena de ser a população a assegurar a segurança, pelas próprias mãos!

O povo de Coruche hoje em dia não é livre, a nossa liberdade está condicionada pela maldade e falta de cidadania de um número significativo de pessoas de etnia cigana, que ofendem, insultam, agridem, roubam, chantageiam e ameaçam, tudo e todos, vivendo a população num constante sobressalto e estado de ansiedade, provocado pela INSEGURANÇA!

A SEGURANÇA é um princípio básico de um estado livre e democrático, nós como cidadãos portugueses, como trabalhadores honestos, como pessoas de bem e contribuintes, exigimos ser LIVRES, ou seja exigimos SEGURANÇA!

Chega de vivermos reféns do medo, está na hora de libertar Coruche!

Chega de conversas balofas, está na hora de actuar!

Chega de esperar por um amanhã melhor...é hoje, queremos respostas, queremos medidas urgentes!

Ajudem Coruche! Antes que seja tarde, antes que aconteça uma desgraça!

A situação não é de agora, mas mais vale tarde do que nunca, chegou a hora de fazermos alguma coisa pela nossa terra!

Vamos aproveitar esta onda de solidariedade e de coragem já demonstrada pelas entidades locais e pela própria população, para exigir a uma só voz, junto das entidades competentes, o reforço efectivo de meios para a GNR de Coruche, só assim, as forças da ordem poderão actuar com eficácia e só assim voltaremos a ter SEGURANÇA.

Se no passado ninguém teve coragem de fazer nada por nós, agora é a nossa vez, e todos juntos venceremos, seremos livres, viveremos em segurança.

DEIXAMOS O ALERTA, CASO A SITUAÇÃO NÃO SE RESOLVA RAPIDAMENTE, OU SEJA, SE A GNR DE CORUCHE NÃO FOR REFORÇADA COM MAIS MEIOS, IREMOS AVANÇAR COM OUTRAS FORMAS DE LUTA!

A POPULAÇÃO DE CORUCHE

em: http://elcoruchero.blogspot.com/

quinta-feira, maio 19, 2005

Marlon Brando - o melhor actor de sempre


nascido em 3 Abril 1924(Omaha, Nebraska, EUA), morre em 1 Julho 2004(Los Angeles, California, EUA com doença pulmonar)

Os 43 filmes em que participou como actor:
http://www.imdb.com/name/nm0000008/

Sobre os meus filmes(trilogia) preferidos dos 42:

O Padrinho



1972, 1974, 1990. Estas são as datas a recordar, as respectivas de “O Padrinho I, II e III”. Uma das mais brilhantes, influentes e incontornáveis trilogias que o cinema já ofereceu aos seus espectadores. A variar dos tons ocre ao colorido das festas, desde as primeiras décadas do séc. XX e até ao seu final, esta é a história de três gerações de uma das mais emblemáticas famílias (e Família) que já passaram pelo cinema. Descubra quem são os Corleone, de onde vieram e como cresceram no poder, e ao mesmo tempo conheça uma parte da história da América, do submundo da máfia e claro, veja a emergência de um leque de actores inigualáveis.

Tudo começa sempre em festa, em qualquer um dos três filmes, mas a tragédia nunca anda longe. Casamentos, baptizados, ordens de honra... mas no final –como já dizia Kubrick- acabamos todos iguais. “O Padrinho” mostra-nos que a diferença está apenas nos anos antecedentes. Vito Corleone/Marlon Brando despede-se da vida em paz; Michael Corleone/Al Pacino em total arrependimento e remorso.

Até aos anos 70 o cinema apenas tinha dado a conhecer e enfatizado a relação... digamos de “opostos interesses”, entre gangsters, ‘mobsters’ e vilões ‘al caponianos’ face aos polícias da praxe. O mesmo é dizer que a grande generalidade dos filmes mostrava a típica história de ladrão-rouba-polícia-procura-ladrão-foge-polícia-corre-polícia-agarra-ladrão-esquadra. Com “The Godfather I, II e III”, Puzo e Coppola dão-nos uma trilogia onde a presença da polícia se conta pelos dedos das mãos, onde a palavra “máfia” escassamente é ouvida (no primeiro filme não é mesmo nunca mencionada) e reinventa um género com repercussões a ultrapassar as de um sismo na mais alta escala de Richter.



A oposição ética entre o anjo do Bem e o demónio do Mal encontram-se aqui dentro do mesmo círculo, e muitas vezes nas mesmas personagens. Michael Coerleone mostra-nos como os fins justificam os meios, mas Vito não é tão radical. E é curioso ver como no primeiro filme Coppola até nos faz criar uma certa simpatia para com o Padrinho Marlon Brando.

Da Sicília a Nova Iorque, os Corleone crescem, sofrem, lutam, perdem, ganham, morrem, nascem, renascem... Tudo se passa em família. Tudo se passa entre famílias. Mesmo na parte III da trilogia, a presença da comissão de inquérito a Don Michael Corleone não deixa de parecer ‘intrusa’ e inglória; o poder da Família desde 1972 que nos foi mostrado ser demasiado grande; apenas se fazem apostas para acertar na solução que os Corleone irão encontrar para sair incólumes.

A sociedade não os vê nas revistas da “socialite”, pouca gente os conhece para além das outras organizações criminosas e dos agentes da lei, mas que eles existem, disso ninguém duvida, e meia América está sob o seu domínio. É este fascínio que indelevelmente nos passa ao ver “O Padrinho”.



A variar entre imagens mais límpidas e os tons ocres (vénias à cinematografia de Gordon Willis), esta é a história de três gerações, desfilando à nossa frente nos rostos de Robert DeNiro (o jovem Vito), Marlon Brando (o eterno ‘Godfather’, Vito na sua idade mais madura), Al Pacino (Michael) e Andy Garcia (Vincent Mancini/Don Corleone). E claro, a composição orquestral de Nino Rota ainda hoje sibila nos lábios de meio planeta; muitos podem nem saber que vem daqui, mas todos a conhecem.

Há de tudo em “The Godfather”. Homicídio, amor, paixão, tragédia. Mas Coppolla mostra-nos que só não há lugar para a traição, nem para cometer erros; a morte espera-os a ambos. Aprendemos ainda que os inimigos devem ser mantidos bem perto e na parte II tomamos já conhecimento do pensamento que será fundamental para Marlon Brando no projecto que Coppolla filmaria a seguir: “Apocalypse Now” – é preciso temer e honrar quem luta por um ideal.

Vito é cauteloso e paternal, Michael o eterno ser humano perdido e amargurado na procura do rumo certo. As fotos do primeiro filme, que mostram o rosto de Michael ensombrado pelo chapéu, bem como o final do segundo filme da trilogia, resumem quase tudo. Aliás, a última cena de “O Padrinho II” sublinha-nos as personalidades e interesses de cada um, as razões por que no futuro Michael excluirá Tom Hagen/Robert Duvall, e como a sua referência é e será sempre o pai, que sente nunca conseguir igualar.



O porquê é-nos revelado no final da trilogia, com o tomo III da saga, e é o próprio Michael que o diz, em confissão ao recém falecido Don Tommasino: “porque era você tão amado e eu tão temido?”. Também Vito Corleone sabia ser implacável e temido, mas igualmente amado pelos seus. Michael nunca soube.

Ao fim de 18 anos e com 3 filmes, Puzo e Coppola dão azo para que pelo mundo fora surjam estereótipos, imitações boas, cópias baratas e sucedâneos que ainda hoje não cessam de aparecer. Pelo meio ficou o lançamento de estrelas da representação para o álbum dourado da 7.ª arte, onde o parto mais difícil foi sem dúvida Al Pacino, fruto da parca visão que alguns executivos de Hollywood mostraram ter nessa altura.

Se resumos podem ser feitos, o primeiro filme centra-se sobre a família Corleone na sua sobrevivência e emergência, o segundo sobre a corrupção e a desintegração familiar, o terceiro fala-nos de redenção e mostra-nos que o crime não necessita droga, bebidas ou jogo para se movimentar. As relações de negócio sempre complicadas entre Famílias estão presente em todos eles.

The Godfather/O Padrinho, no seu conjunto, é por tudo isto e muito (mesmo muito) mais uma obra imperdível, imprescindível e importantíssima no orientar do curso tomado por uma parte da cinematografia e produção televisiva a partir do último terço do séc. XX. E as consequências e expansão causadas por este Big Bang tão cedo não vão cessar.
por:Ricardo Jorge Tomé

Marlon Brando sobre os judeus:

"Hollywood is run by Jews; it is owned by Jews--and they should have a greater sensitivity about the issue of people who are suffering. Because...we have seen...the greaseball, we've seen the Chink, we've seen the slit-eyed dangerous Jap, we have seen the wily Filipino, we've seen everything but we never saw the kike. Because they knew perfectly well, that that is where you draw the [line]."
--Brando em Larry King Live

Sobreviver na linha de fogo de um tiroteio

quinta-feira, maio 12, 2005

Irmandade Ariana - Entrevista



AB PORTUGAL is one of the only direct actions groups nowadays in
Portugal; they had been very controversial in the media and had
been headlines in many newspapers, TV shows, news etc for the past
years. Many of us in the movement do not agree with direct action
but many of us also know that is need and we in Portugal know that
if wasn’t AB “taking” care of some of our direct enemies, we nationalists
would be facing real enemies, not week and worthless kids. So
we would like to thank AB for their sacrifices to protect us Nationalists
as well the Movement.

WAU: First of all, we would like to thank the interview. Can
you make us a brief description of whom and what is the Aryan
Brotherhood Portugal?

Aryan Brotherhood: The AB is an organization, which works in the
pattern of the resistance without leadership, so we have many cells.
All these cells are independent, and fight isolated. The first cell, the
founder, wanted this system because we believe this way any person
who takes direct action, could do these actions in the name of the
AB. without the need of agreement from the other cells. The great
advantage is that most of the people whom claim to be AB do not
know each other so in this way they cannot talk about the other people
involved on it, what it makes hard the work of ZOG. AB Portugal
was idealized in 1995 inside of the walls of a Portuguese prison, and
with passing of the years, and with the need of direct action, the idea
went out of the prison walls in 2000 to the streets.

WAU: and your members? We know you are divided by cells,
are there cells spread by all over country or are they mainly
in the big cities?

AB: As I already said, right now we have no control or idea how
many members we have and where you can find them, although we
have an idea by the actions that are reported in the press or by what
people have heard here and there… But being part of the nationalist
movement and considering the movement is mainly concentrated in
main cities, I could say that yes almost all members should be located
in big cities.

WAU: Since the very beginning of AB in Portugal there was
some big attention from media around your group, some years
ago big headlines and so many people scared with single site
on web and later with your actions. Did you felt that media
pressure, or repression, inside your organization?

AB: We felt the pressure, but we didn’t accept it… we kept alive and
even more radical and with more actions… or enemies can confi rm
it… (Laughing)

WAU: A few months ago the AB restarted having some media
attention because a list of antifas targets, can you talk us a
bit more about that?

AB: The AB had made a list with home addresses, social habits,
material possessions, pictures etc, of about 20 anti-Nazis, and had
spread that list among nationalists by the site www.forum-nacional.
net, and today I can tell you we know even more about those people
because the world is too small, and after we had spread that list instead
a few people working on collecting info etc we had 2000 users
subscribed on that forum. That was really good because today we are
sure that those antifas are nor a threat to nationalists, and also we
know that all those scum bags had paid for what they are and we are
sure they will not even think to stand against us anymore.

WAU: Na AB member had accepted to give an interview for
one of the most popular TV channels in Portugal. Do you think
that interview was a good thing, or in someway was manipulated?

AB: We believe in the Adolf Hitler motto: “Good or bad what matters
is they talk about us”. So when we had agreed to give the interview
we already knew that they would never say good things about us.
Although I think that piece was not so bad. We liked especially when
they had put a sociologist who looked like a frog denying the undeniable,
or when they had confronted Falcão (SOS Racism Leader) with
his name on our list and he started telling his fairy tales. Anyway we
think our guy was great on that interview.
-----------------------------------------------------------------------------------
entrevista em revista Aithgena #1 produzida pela WAU-Portugal


"A Aithgena é uma publicação semestral em formato A5, com 48 páginas, e neste numero é publicado o poster/calendário em formato A4, de 2005."

"É uma publicação gratuita para todos os POW's e PP's. Todos os outros podem adquiri-la por uma pequena doação de 3,50€ em Portugal, 5€/5$ no o resto do mundo. Quem estiver interessado em adquirir a nossa zine através de correio, pode ainda em vez de enviar dinheiro, enviar dois envelopes A5, um selo para onde deve ser enviada a zine e outro internacional. (pois é com o dinheiro das zines, e estas pequenas contribuições em géneros que temos a possibilidade de enviar zines gratuitas a todos aqueles que se vêem impossibilitados pelo sistema a adquiri-las livremente)"

Para mais informações WAU_Lusitania@yahoo.com

segunda-feira, maio 09, 2005

Concerto skinhead 07-05-2005 - Report.



Comunicado oficial do evento:

"O concerto realizou-se em Poceirão,(margem sul do tejo), tendo a primeira banda, Dissens, aberto o evento cultural com grande qualidade musical, estes nacionalistas Suiços, provaram quanto a mim, que são sem duvida a melhor banda Helvética. Queria agradecer especialmente a musica que dedicaram à PHS, e toda a humildade e irmandade que demonstraram nestes dias em que pudemos conviver uma vez mais.
A segunda actuação da noite veio da Alemanha, Jungsturm, e a sua actuação esteve ao nivel de Dissens, com a vantagem de terem tocado 2 musicas , uma de Batallon de Castigo e de Division250 em Espanhol, o que levou a assistência ao rubro. Tambem aqui temos que agradecer nos mesmos moldes o que o dissemos em relação aos Suiços, Os Germanicos estiveram francamente bem.
A fechar a noite, Ódio, a banda portuguesa mais internacional e revolucionária de sempre, que ontem efectuou o seu oitavo concerto, terceiro em solo nacional. E palavras para quê???Foi excelente, brutal, não existem adjectivos suficientes que possam descrever a sua actuação, os meus parabêns aos membros de Ódio.
Um especial agradecimento tambem á musica que dedicaram ao Irmão Hammerskin Rui Barella(R.I.P) que ganhou o seu pacth oficialmente(dia 7 Maio)

A camaradagem entre 8 nacionalidades presentes foi perfeita, o concerto não teve nenhum incidente, nem antes, nem durante, nem depois!!Estiveram presentes 270 pessoas.

Queria tambem agradecer, aos nacional-socialistas que estiveram presentes, e que apesar de toda a campanha Jornalista Terrorista, e das sucessivas intervenções da GNR em entrevistas a dizer que ia fazer e acontecer, para desmobilizar o evento cultural, os camaradas não desistiram, não fraquejaram e mostraram que contra tudo e contra todos podem gritar bem alto PRESENTE!!!!

Ultimos agradecimentos:
Ao PNR, que ofereceu as passagens das bandas Estrangeiras, um muito obrigado à sua actual direção.
E por fim, para a CAH88(crimes against humanity88) que organizou o concerto-Obrigado por nos terem convidado para fazer a segurança e ajudar na logistica, foi um prazer!

Aos que não foram, por serem cobardes, tenho vos a dizer, que não vos odeio, porque sei que das pessoas não se pode esperar todas o mesmo, por isso no comboio nacionalista, uns são a locomotiva, outros as carruagens que lhe seguem, alguns a ultima carruagem, e infelizmente outros, nem chegam a apanhar o comboio, por mais que corram.
Têm sempre a opção de se sentirem realizados, quando de 4 em 4 anos desenham uma cruz, ou escrevem uns posts em foruns etc.

Uma frase para os nossos inimigos fixarem:
SE ÉS INIMIGO DOS HAMMERSKINS, ESTÁS CONDENADO AO FRACASSO!!! "

Unica reportagem digna desse nome:

"Setúbal - Festa organizada por nazis tidos como violentos

Skins identificados



‘Skins’ a serem identificados
A noite, normalmente tranquila, da Asseiceira, arredores de Poceirão, Palmela, foi agitada, sábado para domingo, com o concerto promovido pela Crimes Against Humanity 88, organização que juntou entre 150 (diz a GNR) e 270 (segundo a organização) ‘skinheads’. Não houve desacatos mas, para prevenir, a GNR montou uma operação de segurança e identificou dezenas de ‘cabeças-rapadas’.

Na tenda que serviu para o concerto ‘skin’, actuaram durante cerca de três horas, as bandas Dissens (suíça), Jungstrum (alemã) e Ódio (portuguesa). Na Internet, a organização diz que lá estiveram ‘skinheads’ neonazis de oito nacionalidades, que pagaram cinco euros pela entrada.

Fonte policial precisou que espanhóis e alemães foram as nacionalidades predominantes, além dos portugueses.

O Partido Nacional Renovador (PNR), de acordo com a organização, financiou a vinda das bandas estrangeiras, enquanto que a segurança do evento esteve a cargo da Portuguese Hammerskin, ramo português desta organização americana neonazi e tida como das mais violentas.

Uma festa exclusiva para os neonazis, onde não faltaram cerca de 300 litros de cerveja e dezenas de pizzas. Deixados tranquilos por toda a gente, os mais temidos ‘cabeças-rapadas’ portugueses portaram-se com uma disciplina invejável, nomeadamente quando abordados pelas autoridades policiais.
Quem lá esteve diz que o concerto teve momentos altos, como a execução em espanhol da Jungsturm e a música que os Ódio dedicaram a ‘Boniek’, um ‘skinhead’ que morreu em Outubro do ano passado.

Depois do concerto, que terminou cerca das 00h00, os neonazis saíram da zona para serem confrontados com uma vasta operação stop, levada a cabo pela GNR.

A operação de segurança, com vários postos de controlo nas estradas de acesso à região, decorreu até cerca das 2h30, tendo sido fiscalizadas mais de 50 viaturas, nem todas pertencentes aos ‘skinheads’. “Todos os condutores participantes no concerto e fiscalizados, apresentaram uma taxa de 0,00 gr/l de alcoolémia”, disse ao CM fonte da GNR, referindo ainda que não se registaram quaisquer incidentes.

IRREVERÊNCIA APESAR DE TUDO

A entrada de cerca de uma dezena de neonazis espanhóis num café, a seguir ao posto de controlo da GNR junto ao cruzamento das estradas do Montijo com a do Poceirão, não deixou de causar algum alvoroço.

Dentro do vasto estabelecimento, decorria uma festa local de ‘karaoke’ e a entrada dos rapazes e raparigas de cabeça rapada não deixou de ser notada pelos presentes. Mas tudo correu na calma, sem provocações. Tomaram umas cervejas, foram à casa de banho e fizeram-se à estrada, que a viagem até Espanha ainda ia ser longa.

Já à saída, no exterior do café é que um dos ‘skinheads’ não resistiu mais e baixando as calças, exibiu irreverentemente por instantes as nádegas em direcção ao estabelecimento. O que, ainda assim, acabou por passar desapercebido pela maioria das pessoas. Nada demais para quem esperava pancadaria. "

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=159392&idselect=10&idCanal=10&p=94

domingo, maio 01, 2005

Dia da mãe - Adolf Hitler


Mutter Maria, pintura a óleo de Adolf Hitler em 1913
Créditos da foto- Bischoff


"CONSIDERA ISTO!

Quando a tua mae for ficando mais velha,
quando os seus lindos queridos fieis olhos
nao estiverem a ver mais vida como outrora faziam,
quando os seus pés,forem ficando cansados,
nao mais querendo carregá-la enquanto caminha,
entao empresta-lhe o teu braço como suporte,
escolta-a com feliz prazer,
a hora virá quando,em lágrimas,tu
terás de acompanha-la no seu passeio final.
E se ela te perguntar algo,
entao da-lhe uma resposta.
E se ela te perguntar outra vês,entao fala!
E se ela te voltar a perguntar,responde-lhe,
nao impacientemente,mas com gentil calma.
E se ela nao te conseguir entender devidamente,
explica-lhe,tudo com felicidade.
A hora virá,a hora amarga
Quando a sua boca nada mais perguntar. "

Adolf Hitler
Maio,1923