terça-feira, junho 07, 2005

Ser português - Ironia de Toni8



via www.forum-nacional.net
Ser português, por Toni8:

"Mas pronto, para mim ser português é ser etnicamente e culturalmente português, é falar a nossa língua, é comer bacalhau com todos ao Domingo, é conduzir à direita, e no fim negar a existência de raças. É ser do Benfica e afirmar que o Eusébio é português, é ter um B.I. enorme e que se dobra todo, é poder votar em referendos que não servem para nada, é ter um presidente marroquino de ascendência judaica, é ver a malta a mandar papéis para o chão "para dar trabalho aos almeidas", é ouvir os "nacionalistas" de pacotilha a elogiar negros e a admirar mulatas, é ter um Martunis indonésio que se torna "símbolo nacional" em poucos meses apenas porque se afogou num Tsunami com a camisola do Deco, é ser roubado pelos políticos e continuar a acreditar neles, é ir ao shopping no fim-de-semana com o fato de treino Nike da feira do relógio, é ouvir um sociólogo qualquer dizer na televisão que o cozido à portuguesa é um prato tradicional judaico-muçulmano e acreditar, é ler a Margarida Rebelo Pinto e dizer aos amigos que "farto-me da ler", é ter pena do Mantorras por não ter ido ao consulado português comprar um passaporte nacional, é apitar no sinal de trânsito mal muda para verde mas desatinar com o taxista que faz o mesmo, é queixar-se da invasão económica espanhola mas não dar importância ao facto de haver mais pretos cá do que produtos espanhóis, é ver na TV que em Auschwitz morreram 6 milhões de judeus mais os 6 milhões de ciganos e 6 milhões de jeovás e acreditar deixando cair uma lágrima, é estar atolado de neve na Serra da Estrela e culpar o Estado de não dar correntes para as rodas, é não acreditar que o Paulo Portas e o Herman José são rotos e jurar que o Carlos Cruz é inocente "porque apresenta bem", é pagar 100 contos de renda para comprar casa e não ligar ao facto dos pretos receberem casas de borla há 30 anos, é pagar 5 contos por um bilhete de futebol mas recusar sempre dar uma ajuda às associações de protecção animal, é acreditar que ser homossexual não é uma doença e que "é uma opção sexual", é acreditar que o PREC trouxe a liberdade e não acreditar que os militares fizeram o golpe por dinheiro e cobardia, é gastar milhões em estádios e ver famílias a passar fome, é ver os portugueses a serem assassinados na África do Sul e não ligar nenhuma mas meter lenços brancos na janela pelos timorenses, é ser constantemente roubado por gangues de pretos e insistir que não é racismo, é ir ao hospital e estar 6 horas à espera para lhe receitarem um placebo, é o culpado ser o carro que tem o arranjo mais caro quando há acidentes, é ver a pesca e a agricultura a acabar e as fábricas a fecharem e ainda achar que a UE tem sido porreira em mandar milhões para os Torres Coutos, é ver a bófia a multar traiçoeiramente nas auto-estradas apesar de ser lá que há menos acidentes e mesmo assim achar que é para reduzir a sinistralidade, é achar que o carnaval do Rio é o tradicional, é achar que os sindicatos defendem os trabalhadores portugueses apesar destes concordarem com a vinda de mais imigrantes, é receber menos que os outros cidadãos europeus e pagar o mesmo por serviços piores e mesmo assim achar que é apenas por causa da crise passageira ou do défice, é acreditar que os juízes têm 3 meses de férias porque trabalham durante esse período, é achar que os cabo-verdianos têm mais a ver connosco do que os espanhóis ou italianos, é ver suspeitos de pedofilia serem recebidos com palmas no Parlamento e continuar a tolerar a classe política, é achar mesmo que os imigrantes são necessários, é ir à bruxa e alterar a sua vida consoante o que esta lhe diz, é colocar a hipótese do CDS ser de extrema-direita "porque o Mário Soares disse", é ter pena dos bófias que fogem dos pretos mas que espancam brancos, é acreditar que se o Le Pen ganhar em França os portugueses "vão sofrer imenso", é acreditar nos estudos científicos que aparecem para justificar tudo e mais alguma coisa, é dizer "não sou racista" mas recusar ir viver para um bairro de pretos, é ter uma TV que quando fala no III Reich só apresenta documentários sobre guerra ou judeus, é ter simpatia pelo "humanismo do guterres" só porque ele tem ar de sonso, é acreditar que os judeus foram perseguidos ao longo de toda a História por capricho ou "apenas por serem diferentes", é acreditar que houve fascismo em Portugal, é ver o vizinho ser assaltado e fingir não ver ou dizer "não é nada comigo", é meter mensagens exaltadas nos comentários do Correio da Manhã a dizer que os nacionalistas são perigosos mas não fazer a mínima ideia do que é a ETA ou as FP25, etc, etc, etc...."