terça-feira, janeiro 31, 2006

Tão bom..




























Last night a little dancer came dancin' to my door
Last night a little angel Came pumpin cross my floor
She said "Come on baby I got a licence for love
And if it expires pray help from above"

In the midnight hour she cried- "more, more, more"
With a rebel yell she cried- "more, more, more"
In the midniight hour babe- "more, more, more"
With a rebel yell- "more, more, more"
More, more, more.

She don't like slavery, she won't sit and beg
But when I'm tired and lonely she sees me to bed
What set you free and brought you to be me babe
What set you free I need you hear by me...

http://www.forum-nacional.net/~malvado/05%20Rebel%20Yell.mp3

domingo, janeiro 29, 2006

1º Aniversário da Portugal HammerSkins


A Portugal HammerSkins vem por este meio agradecer a todos os nacionalistas que estiveram presentes na celebração do seu 1ºaniversário no dia 28 de Janeiro de 116 E.H. (Era Hitleriana).

Sendo do conhecimento geral todas as perseguições que o nosso grupo tem vindo a ser alvo desde a sua formação em Novembro 2001 por parte do Núcleo de Investigação Criminal de Loures, do Ministério Público e da Comunicação Social, e sabendo de antemão os nacionalistas que seriam possíveis identificações, buscas, revistas, e todo o habitual importunar e tentativa de desmobilização por parte desses lacaios do Sistema, os nacionalistas não se demoveram, não abdicaram dos seus direitos cívicos e sociais, e honraram-nos com a sua presença e forte apoio.

Queremos deixar uma mensagem especial, sobre o assunto da repressão policial, à PSP local que desde o início, e em reuniões com a Câmara Municipal de Caldas da Rainha, sublinhou que "tem fortes convições que o grupo em questão não vai arranjar qualquer tipo de problema de ordem pública", e que "a CMC deve permitir que o evento se realize".

Uma palavra de apreço também para os responsáveis camarários e do Centro de Juventude que, apesar de se encontrarem ideológicamente em campos opostos, deram-nos o benefício da dúvida e certamente não se arrependeram desse voto de confiança.

Não houve operações de STOP cirúrgicas para os nacionalistas, a PSP através de 3 agentes à civil teve acesso ao recinto, e depois retirou-se fazendo a habitual vigilância, que compreendemos perfeitamente, dentro da maior discrição, ao invés das outras intervenções da GNR no passado.

Sabemos que isto nem deveria ser alvo de menção no relatório do evento mas tal como quando os jornalistas fazem um trabalho isento sobre o nosso movimento nós agradecemos porque sabemos as pressões a que estão sujeitos, aqui fazemos o mesmo aos agentes acima mencionados.

Mais importante do que isso foi a presença de camaradas de todo o território português, e também França e Espanha, a excelente ajuda por parte do núcleo da FN do Oeste na logística do evento, assim como os nacionalistas da zona da Ericeira pelo autocarro disponibilizado, o convívio em perfeito espírito de irmandade, e o facto habitual de não ter ocorrido um único incidente.

A banda convidada foi ÓDIO, que lançou o CD oficialmente em Portugal nesta festa, e como sempre os membros da banda estiveram ao seu melhor nível. Também para eles o nosso muito obrigado!

Além das 11 músicas do CD, foram "obrigados" pela assistência a repetir várias, a banda tocou covers de Metallica, Motorhead, GDF, D250, Battalon de Castigo, Nordic Thunder e Legion88, sendo que algumas das músicas foram cantadas por diversos camaradas que o vocalista ia chamando ao palco, tendo fechado a festa 3 skingirls a cantar "Mentiras" de Battalon.

Aos camaradas que apesar dos problemas judiciais e prisionais estiveram presentes, e que ao longo destes anos não penduraram as suas botas, uma palavra: respeito!

A todos os presentes muito obrigado!!

Aos nossos inimigos: se és inimigo dos Hammerskins estás condenado ao fracasso!!

http://www.forum-nacional.net/~malvado/09%20RISING%20ABOVE%20ALL.mp3

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Ai quem me dera...

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Manif. dia 28 Jan 2006 - Contra o Genocídio Anti-Branco


O Genocídio contra os brancos na África do Sul fez consciencializar os nacionalistas portugueses e, assim, o nosso dever cívico e patriótico tem de se alargar a terras de além-mar com vista à protecção dos nossos irmãos de sangue, separados que fomos pelo destino.

Já foram assassinados mais de 360 portugueses, entre os quais homens, mulheres, crianças, velhos e novos, numa barbárie em certos casos atroz e horrorosa.

O ódio racial que os africanos têm pelos ditos "colonizadores" é inegável, e por mais que os acessores da presidência da Républica mandem calar os Padres portugueses nessa região -- para "não levantar ondas" -- a chacina já comeca a ser difícil de silenciar.

Os agressores são negros e as vítimas são brancos, portugueses, espanhóis, alemães, holandeses, e de todas as nacionalidades europeias, mas nenhum Governo Europeu, muito menos o nosso, lançou qualquer campanha de ajuda, nem tão pouco mostra qualquer tipo de preocupação pelos brancos ou pelo facto do Governo Comunista daquele país nada fazer para garantir a segurança daqueles que construíram tudo aquilo que hoje é a África do Sul. Foram eles tão celeres em pressionar o sistema judicial para condenarem os nacionalistas que em 1995, depois de uma rixa, tiraram a vida a um africano, foram estes politicos e magistrados tão exímios defensores das minorias étnicas nesse episódio, onde Presidente da República e da Câmara de Lisboa se deslocaram ao cemitério para colocar uma coroa de flores e ao pagarem com o dinheiro dos portugueses, pesados honorários para que um advogado ajudasse o Ministério Publico na acusação, tendo os nacionalistas sido acusados de Genocídio, obviamente com motivações políticas e não criminais, e neste caso morrem mais de 360 pessoas e os traidores que estão no poder nada fazem?!

Nem uma vigília?! Nem uma coroa de flores?! Nem uma palavra?! A manutenção deste silêncio é INADMISSÍVEL!

Por muito menos, um pouco por todo o Mundo, se fizeram revoluções...

São estes os homens que juraram defender os portugueses?!

São estes os homens que se dizem defensores das minorias?!

Os portugueses são uma minoria em África do Sul, os portugueses precisam de ver os seus interesses defendidos, e acima de tudo a vida e integridade física protegida. Se o Governo Africano não a consegue assegurar que o diga, que nós estamos dispostos a receber de braços abertos as centenas de milhares de portugueses emigrantes e devolvemos em igual número, ou se quiserem em dobro ou triplo, os Africanos que selvaticamente vão destruindo o nosso Povo.

Ou os emigrantes só servem para se receber as avultadas remessas anuais?

Temos que defender o nosso povo onde quer que ele esteja, por isso nacionalista, no dia 28 janeiro, vamos mostrar uma vez mais aos portugueses na África do Sul, aos traidores do Parlamento, e aos nossos conterrâneos que, apesar da Igreja ter sido silenciada pelo «presidente de todos os IMIGRANTES», o Sampaio, a comunicação social estar surda e muda, assim como todas as organizações de defesa dos direitos humanos, NÓS NÃO RECEBEMOS FAVORES DE NINGUÉM, NÃO RECEBEMOS AJUDAS OU DOAÇÕES MONETÁRIAS DE NINGUÉM, MAS A NÓS NINGUÉM NOS MANDA CALAR!!!

Pelas 15 horas na Alameda D.Afonso Henriques, junto da Fonte Luminosa..mais info:
www.FrenteNacional.net

Musica:
http://www.forum-nacional.net/~malvado/07%20Faixa%207.mp3

sábado, janeiro 21, 2006

Condemned 84 - Gang Warfare


Gang Warfare - Condemned 84
----------------------------
Steal capped boots, always right, The same in hate, we look so right.
Standing proud, standing strong, Lying in wait for another mob.
All soled-up, were ready to ruck, We don't give a shit, we don't give a fuck.
Pick-Axe handles, Bicycle chains, there ain't no rules, this ain't a game!

Gang Warfare! Gang Warfare! It's a way of life!
Gang Warfare! Gang Warfare! It's a life of fights!
Gang Warfare! Gang Warfare! It's our finest hour!
Gang Warfare! Gang Warfare! ......BOOTBOY POWER!

We're the warriors of the night, always ready for a street fight.
Stick together through thick and thin, keep our trust whether we lose or win
Boots laced in, aiding attack, with chain and ball, no turning back.
No time to think, times to short, get in first with no afterthought!

Gang Warfare! Gang Warfare! It's a way of life!
Gang Warfare! Gang Warfare! It's a life of fights!
Gang Warfare! Gang Warfare! It's our finest hour!
Gang Warfare! Gang Warfare! ......BOOTBOY POWER!

Show no mercy, don't give an inch, draw first blood, the boot goes in.
Shoulders go being cracked, on the blows of baseball bats!

Gang Warfare! Gang Warfare! It's a way of life!
Gang Warfare! Gang Warfare! It's a life of fights!
Gang Warfare! Gang Warfare! It's our finest hour!
Gang Warfare! Gang Warfare! ......BOOTBOY POWER!!

http://www.forum-nacional.net/~malvado/04%20Gang%20warfare.mp3

quinta-feira, janeiro 19, 2006

Support your local Zé Nabo

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Frederic Nietzsche - Do Amigo

"Tenho sempre junto a mim uma presença importuna", pensa o solitário. "A repetição de um vezes um, acaba por fazer dois, com o decorrer do tempo.
Eu e Mim lançaram-se num diálogo demasiado veemente, Como seria ele suportável, se não houvesse o amigo?"
Para o solitário, o amigo é sempre um terceiro; o terceiro é a valvula que impede a conversação dos dois de se abismar nas profundidades.
Ai! existem sempre demasiados abismos para todos os solitários. É por isso que têm uma tal sede do amigo, e à sua altura.
A nossa fé em outrem revela aquilo que desejariamos poder acreditar de nós próprios. O nosso desejo de um amigo acaba por nos trair.
E muitas vezes a amizade só serve para saltar por cima da inveja. E muitas vezes só atacamos e criamos um inimigo para escondermos que somos vulneráveis.
"Sê, de todos, o menos meu inimgo!"-assim fala o verdadeiro respeito que não ousa solicitar a amizade.
Se quisermos ter um amigo, é preciso também lutar por ele; e para lutar é mister poder ser inimigo.
É preciso honrar no amigo o próprio inimigo.
Podes aproximar-te do teu amigo sem passar para o seu campo?
É preciso ter no amigo o melhor inimigo. É resistindo-lhe que ficarás mais perto do seu coração.
Não queres usar nenhum véu para o teu amigo?
Pensas honrá-lo mostrando-te tal como és? Mas para te agradecer, ele manda-te para o diabo.
O que não dissimula nada de si, excita a nossa indignação; eis porque vos é tão necessário renunciar à nudez. Se fôsseis deuses, decerto, seria dos vossos vestidos que teríeis vergonha.
Nunca te adornarás de mais para o teu amigo; porque deves ser para ele a seta do desejo lançado para o Super-Homem.
Já viste dormir o teu amigo, para o conheceres tal como é? Qual é então o seu rosto habitual do teu amigo? É o teu próprio rosto, visto num espelho tosco e imperfeito.
Já viste dormir o teu amigo? Não tiveste medo vendo-o tal como é? Ó, meu amigo, o Homem é o que deve ser ultrapassado.
É preciso que o amigo se tenha tornado mestre na arte de adivinhar e de se calar; defende-te de querer ver tudo. Que o teu sonho te revele o que faz o teu amigo que vela.
Seja a tua compaixão adivinhadora; sabe primeiro se o teu amigo deseja a tua compaixão. Talvez ame em ti o olhar passível e a contemplação da eternidade.
Que a tua compaixão pelo teu amigo se dissimule sob uma rude casca; parte um dente sobre esta compaixão; ela terá então finura e suavidade.
Serás para o teu amigo ar puro e solidão, e pão e reconforto? Mais de um que não pode quebrar as suas próprias cadeias soube todavia libertar o seu amigo.
És escravo? Não poderás ser amigo. És tirano? Não poderás ter amigos.
Houve durante muito tempo na mulher um escravo e um tirano escondidos. Por isso a mulher ainda não é capaz de amizade; apenas conhece o amor.
Há injustiça no amor da mulher, e cegueira para tudo quanto não ama. E mesmo no amor iluminado da mulher fica sempre, ao lado da luz, a supresa, o relâmpago e a noite.
A mulher ainda nao é capaz de amizade; gatas, eis o que são as mulheres, ou aves; ou, no máximo, vacas.
A mulher ainda não é capaz de amizade. Mas dizei-me vós, homens, qual de entre vós é porventura capaz de amizade?
Ai, que pobreza a vossa! E quão grande a parcimónia das vossas almas! O que dais ao vosso amigo, estou pronto a oferecê-lo ao meu inimigo, e não me sentirei pobre por isso.
A camaradagem existe: possa a amizade nascer!"
Assim falava Zaratrusta.

terça-feira, janeiro 10, 2006

O mito de Anne Frank - Mais uma invenção Sionista!

Leiam, copiem e divulguem!!!
Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

O objectivo é ficar um desdobrável tipo folheto:


domingo, janeiro 08, 2006

Frente Nacional - Novo site

quinta-feira, janeiro 05, 2006

Mário Machado em - blog In Silêncio


Mario obrigado por teres aceitado falar para o blog http://insilencio.blogspot.com/
In Silencio - O que fazes profissionalmente?
Mario Machado - Sempre trabalhei na area da Segurança, fui porteiro de um bar de strip, de 2 discotecas muito conhecidas da Capital e actualmente sou segurança particular(Body Guard).

IS - Não te vou perguntar quando te iniciaste no nacionalismo ja que tu practicamente "criaste" o movimento nacionalista em portugal,como era no inicio?
MM - Não concordo com o "tu practicamente "criaste" o movimento nacionalista", porque quando me iniciei no mesmo em 1991, através da Frente Defesa Nacional, já muitos outros camaradas tinham dado tudo o que tinham ao nosso movimento e muitos deles de uma maneira muito nobre e altruista. Acho essa afirmação muito excessiva.Infelizmente, todos os projectos da decada de 90 foram-se desmoronando devido a conflitos internos, traidores, pessoas com perfis conflituosos, falta de camaradagem, sindromas de furherite, perseguição policial e encarceramentos.Felizmente esses cancros que existiam no movimento foram alvo de uma intervenção cirugica e hoje em dia existem apenas uns micróbios que deixamos persistir para que o nosso organismo não se desabitue de criar defesas e o seu espirito combativo continue vivo.

IS - Gastas tempo com o trabalho,o movimento e a familia como fica?até que ponto tem ela sido sacrificada?
MM - No meu trabalho tenho que estar disponivel 24h/ -7 dias por semana, mas felizmente sou chamado poucas vezes ao serviço e recebo no final do mês o mesmo, o que faz com que tenha bastante tempo para me dedicar ao movimento e alguma disponibilidade financeira.A nossa luta consome grande parte do meu dia a dia, encaro o movimento com algum "profissionalismo", por isso passo todos os dias algumas horas em trabalho para o mesmo, seja a dialogar com camaradas de todo o pais, a idealizar novos meios de luta e novas formas de chegar às pessoas, a escrever em foruns, blogs e afins, estando envolvido em várias organizações e tentando dar o meu melhor para que todas elas possam evoluir e resistir ao Governo sob ocupação Sionista, para que um dia possamos ser livres.A familia é o elo mais fraco no meio disto tudo, separei-me, tenho 2 filhos que raramente os vejo e isso traz-me alguns problemas de indole emocional, raramente vejo os meus pais, e os restantes familiares ainda menos, por preferir quase sempre o movimento à familia, este natal por exemplo passei com 3 camaradas que não tinham para onde ir em vez de passar com a familia biológica, e preferi que os meus filhos passasem o natal com a respectiva mãe, é claro que tudo isto mexe com uma pessoa, mas acredito que um ideal está acima de tudo e que a minha familia são 10 milhões de portugueses, como tal tudo justifica as horas que abdiquei dos meus meninos para poder no futuro lhes dar a eles e a outros milhares uma vida que se coadune com os ideais que eu defendo.E se não conseguir, pelo menos morrerei tentando e não como um cobarde que abandona o campo de batalha, cheguei a um ponto que já não há retorno!

IS - Que idade tem os teus filhos ?Eles vivem contigo?
MM - Tenho 2 filhos, Ricardo com 5 e Artur com 6 meses, vivem ambos com a mãe, mas mantenho uma relação muito saudável com a mesma.

IS - Tentas incutir-lhes valores raciais para alem dos morais?
MM - Com a idade que têm pouco posso fazer, por enquanto, mas obviamente que quando crescerem lhes vou tentar incutir os meus ideais e vou-lhes mostrar que o nacional socialismo é a unica solução para a salvação da Europa, se o nosso inimigo tem o direito de lobotomizar as nossas crianças através dos programas malignos de TV, passando pelos manuais escolares, onde apregoa-se o multiculturalismo, a homosexualidade, entre outros, porque razão não iria eu tentar dar-lhes uma educação segundo os meus principios e ideais?

IS - Conta-nos resumidamente a tua historia de vida,até que ponto as tuas vivencias influenciaram o "Mario Malvado".
MM - Como qualquer pessoa o passado, molda em muito o futuro da mesma e a sua personalidade, os erros que cometi e os passos mais acertados fizeram com que ganhasse maturidade, ano após ano julgo-me mais maduro e já sei que em 2006 vou olhar para 2005 e vou ver tantos erros cometidos que me vou consumir todo por dentro.A minha história de vida é bastante complexa apesar de me considerar ainda bastante novo, não consigo fazer um flash back muito resumido porque acho que todas as pripécias porque passei tiveram influência na formação da minha personalidade.

IS - Tu ficaste inevitavelmente conhecido pelo caso "Skins do bairro alto",o que toda a gente sabe foi aquilo que apareceu na televisão e nos jornais conta-nos detalhadamente o que te aconteceu naquele dia.
MM - Fomos festejar o 10 Junho para o Bairro Alto e quando eu mais 2 amigos nos afastámos do café onde se encontravam cerca de 50 nacionalistas, um grupo de 20 negros tentou nos agredir, pelo que tivemos que fugir para perto dos nossos camaradas que vieram logo em nosso auxilio, envolvemos-nos numa rixa com os africanos, ainda no Bairro Alto fui para o carro e desloquei-me para a 24Julho, como a 2 km de onde a rixa tinha tido lugar um grupo de nacionalistas, que se tinha separado do grupo inicial, bateu num negro que veio a falecer 2 dias depois, eu fui apanhado na 24 Julho como um dos possiveis autores materiais dessas agressões, eu e a minha ex-mulher, fomos presos e ao fim de 6 meses, chegaram à conclusão que se tinham enganado e que ela não tinha nada a ver com aquilo, eu tive mais 2 anos para provar que nem sequer tinha estado no local onde o africano veio a morrer, mais tarde fui ilibado pelo homicidio, mas os 2 anos e meio que tive preso e os 6 meses da minha namorada já ninguem os tira.Isto como é óbvio vai ser um dia mais tarde pago com ódio.

IS - E lá dentro nunca houve nenhum tipo de represalia?como era a tua relação com os restantes reclusos (macacada inclusive)?
MM - Entrámos como homens e vamos sair daqui como homens, este sempre foi o lema que eu disse aos meus co-réus e todos eles, uns mais do que outros, já se sabe que a natureza humana é mesmo assim, dignificaram e honraram a bandeira que transportávamos e em momento algum os nossos camaradas podem duvidar disso, porque fizémos frente a tudo, tivémos vários confrontos, uns até bastante graves, mas a nossa honra foi sempre a vencedora e nunca nos acobardámos mesmo quando os numeros eram de 10 para 1.Eu só me relacionava com os nossos co-réus e com criminalidade orgazinada porque ainda são dos poucos que lá dentro se podia ter uma conversa e confiar as nossas costas, o resto é tudo muito pobre de espirito e nem merece a pena falar.

IS - Conseguiste continuar ligado ao movimento durante esse tempo?
MM - Sim, e fortaleci bastante essa ligação, recebi de todo o mundo publicações, livros, cartas, dinheiro e todo o tipo de apoio, escrevia-me com bastantes nacionalistas presos e nunca perdi o contacto com o mundo ns exterior.

IS - Quando saiste como te recebeu a sociedade?Tiveste dificuldades?
MM - Foi muito bom, como estava habituado a andar no dia a dia na cadeia de ferrolho e faca, a primeira coisa que fiz foi, devido à excelente politica de colocarem presos preventivos junto de condenados, ir comprar uma pistola nuns contactos que travei na cadeia, começou ai a minha inclusão social.

IS - Passados tantos anos ainda tens problemas por isso?
MM - Tive alguns, por exemplo neste momento estou vinculado ao Ministério da Administração Interna, para poder exercer a minha profissão mas não me dão lincença de uso e porte de arma devido ao meu passado, mas também ganhei algumas coisas com a prisão, por exemplo o meu iniciar a trabalhar na noite de Lisboa como porteiro de um bar de Strip em que o dono tinha estado preso comigo etc etc.Não me deixo facilmente derrotar pelas coisas más e tento ver sempre um lado positivo nas situações mais adversas.

IS - O teu nivel de exposição á comunicação social tem crescido,és abordado na rua?o que as pessoas te dizem?
MM - Felizmente cada vez que sou abordado é só para dizerem coisas boas, ou as pessoas que me odeiam não dizem nada por medo ou então não percebo, tenho sido bastante interpelado, em diversas situações e por diversos tipos de pessoas e as mensagens que me deixam são tão gratificantes que costumo dizer que me recarregam baterias para mais umas semanas de luta.

IS - Não sentes receio de represalias?
MM - Quem tem medo compra um cão e eu tenho um mesmo mauzinho...

IS - És incomodado pelo sistema?
MM - Eles tentam, por exemplo, estou a ser acusado por,-crimes contra a humanidade,-por ter organizado um concerto de musica onde não ocorreu um unico incidente,-incentivo ao ódio racial e discriminação racial por ter organizado uma manifestação contra a criminalidade e tenho um GNR de estimação dos Nucleos de Investigação Criminal de Loures que tem um fetiche comigo entre outras.

IS - Tu "ja" estas quase na casa dos 30 quando vês nas manifestações nacionalistas "miudos" de 16,17 sentes algum tipo de nostalgia?olhas para eles como os futuros defensores da nação?Sentes a tua influencia na juventude?
MM - É o que mais gosto de ver nas manifs admito,(a par das mulheres mas por outros motivos), dou comigo a olhar para eles e a recordar os meus tempos de adolescência e a imaginar o que estão eles a passar, tenho um carinho muito grande pelos mais novos e compreendo-os perfeitamente.

IS - Frente Nacional e Portugal Hammerskins o que são?diferenças entre eles e como "aderir"?MM - A FN é um movimento politico que tem como objectivo promover o activismo nacionalista e ser a locomotiva desse mesmo ideal, produzindo manifestações, conferências, propaganda, sites, jantares de convivio, estreitamento de relações com organizações congêneres nacionais e internacionais etc.O processo de adesão à FN é bastante simples, o membro indica o proponente, tendo que necessáriamente o conhecer pessoalmente e atestar pela sua integridade, a 1 dos 10 membros da direção e estes aprovam ou não a sua entrada.Aos activistas da Frente Nacional pede-se que estejam presentes sempre que possivel nos eventos da mesma e nestes possam contribuir com a sua dedicação e empenho para que se alcance os objectivos pré-determinados.Nenhum membro da PHS está autorizado a falar sobre a organização e eu vou respeitar essa directiva.

IS - Descreve o modo como encaras o país tanto do ponto de vista politico,social,economico,etc.
MM - Em poucas palavras uma miséria!

IS - Como relacionas os problemas do país com a macacada e afins (chineses,ucranianos,ciganos,etc)?
MM - Uma banda skinhead chamada Skulhead tinha uma musica que dizia"... blame the bosses more than blacks.." e eu subscrevo, os problemas do pais estão todos centrados num sitio, chama-se Parlamento e quando os traidores que lá se encontram forem afastados tudo se resolve, porque são eles que permitem que a imigração o crime e a miséria a que o pais chegou esteja neste estado, são eles que têm se ser levados um dia a julgamento por crimes que cometeram contra o nosso povo e contra a nossa raça, as minorias não são uns coitadinhos, longe disso, têm muito mais regalias do que nós que herdamos Portugal por direito mas se o nacionalismo trinfar o lugar delas é nos seus paises ancestrais e se possivel sem violência.

IS - O que achas sobre o recente aumento de popularidade de partidos como o bloco de esquerda?
MM - Encaro isso com toda a naturalidade, o povo português tem o culto do coitadinho e o BE aproveita essa situação da melhor forma, sendo a bandeira dos coitadinhos dos gays, dos coitadinhos das minorias étnicas, dos coitadinhos dos drogados e estes coitados todos juntos fazem no mimino 1 milhão de possiveis eleitores por isso eles ainda têm muito mais para crescer.
IS - O que pensas da mentalidade liberal e multicultural da nossa juventude?
MM - É o que lhes impõe a comunicação social, os partidos e os lobbies maçónicos, gays e afins, quando estes cairem cai tambem na nossa juventude essa mentalidade.

IS - Os nacionalistas, skinheads,ou não aparecem sempre como os maus da fita,isso incomoda-te de algum modo uma vez que és acusado por aqueles que defendes?
MM - Por várias vezes dei comigo a pensar nessa situação, ou seja a de estar a lutar por um povo que me vira as costas, mas a conclusão que eu chego é sempre a mesma, este povo foi vitima de uma campanha de demonização contra o nacionalismo e contra todos aqueles que o defendem, por isso cabe a nós contra tudo e contra todos abrir os olhos aos portugueses para que um dia eles possam ver o mundo como nós o vemos e não com palas como os burros.

IS - Agora sobre o blog homem lobo,o que te inspira?
MM - A nossa luta, a musica, os meus filhos, a verdade e a revolta!

IS - O teu blog é o blog do mês de Janeiro do Portugal Puro e In Silencio ,quando escreves sentes a responsabilidade de seres um dos blogs nacionalistas mais visitados da blogosfera?
MM - Já começo a sentir mais, ao principio era mais uma brincadeira, hoje tem em média 130 entradas diárias e já tento ter mais cuidado com o que escrevo ou com os temas que abordo, porque não quero melindrar a professora que me escreveu por causa dos alunos que liam o meu blog, ou algumas nacionalistas mais sensiveis e reparei num recente tópico no Forum Nacional que o blog é muito acarinhado por isso acho que tenho essa responsabilidade de não defraudar as espectativas das pessoas.Acho que todos nós que escrevemos ou produzimos algo queremos que isso seja lido e visto e quando assim acontece é optimo.Queria também agradecer aos 2 blogs acima a oportunidade que me deram para deixar umas palavras para os nossos camaradas.

IS - Umas ultimas palavras para os nacionalistas e patriotas portugueses.
MM - Ajudem-nos nesta luta que é a de salvar Portugal, antes que seja tarde demais..
Abaixo de ti, nunca!
Acima de ti, nunca!
Ao teu lado, sempre!
posted by Gonçalo

segunda-feira, janeiro 02, 2006

América Proibida - American History X


O que eu gostei mais do filme:

Um gang de "jovens" rouba um carro de uma familia branca, o skinhead defende a sua propriedade e é preso.

Os politicos nacionalistas a tentarem usar os skinheads, mas no fundo mostram um total desrespeito para com esse movimento.

A namorada do Derek que prefere abandoná-lo a continuar com um traidor, sobrepondo assim os valores ideológicos ao amor.

A musica, o guarda-roupa e as tatuagens


E principalmente os discursos do Derek, quando:
- Entrevistado pelo incendio que foi vitima o seu pai.
- A discusão em casa da sua mãe com o judeu.
http://www.forum-nacional.net/~malvado/AHX.mp3
- Quando reunido com os skins, antes de atacarem o supermercado.


E no fim a mensagem do Sistema- Não merece a pena fazeres frente aos negros.

Grupo Bilderberg - Livro


Comentários sobre o livro:

"...um grupo restrito dos homens mais ricos, mais poderosos económica e politicamente e mais influentes do mundo ocidental, que se reúnem secretamente para planear acontecimentos que, mais tarde, parecem acontecer por acaso."- The Times 1997

"É dificl reeducar as pessoas que cresceram no nacionalismo para a ideia de renunciarem a parte da sua soberania em favor de um órgão supranacional."-Principe Bernhard, fundador de Bidelberg."

"Um livro que revela os segredos dos mais poderosos do mundo...Segundo o autor, o clube Bidelberg prepara um Estado Policial Global que ultrapassa o pior pesadelo de Orwell, com um governo invisivel, omnipotente, que actua a partir dos bastidores para controlar o governo dos Estados Unidos, a União Europeia, o Banco mundial, o Fundo Monetário Internacional e várias outras entidades." -Univision

Directamente do livro:

«Os residentes da Comunidade Europeia podem não fazer a mínima ideia das intenções dos sionistas relativamente aos palestinos, mas em Israel a limpeza étnica é um assunto de discussão popular. Cinquenta por cento ou mais dos israelitas pensa que a limpeza étnica é uma boa ideia. Numa nação que supostamente recorda o Holocausto.
Leeden e outros neoconservadores americanos há muito que defendem que qualquer crítica a Israel ou ao sionismo, ainda que seja a crítica mais banal, é equivalente ao anti-semitismo.
Segundo a definição israelita, as críticas a Israel, aos sionistas ou a qualquer judeu em qualquer lugar do mundo podem ser consideradas um delito se um judeu em qualquer lugar do mundo afirmar que tais afirmações lhe causaram, por exemplo, um transtorno emocional ou problemas mentais. Toda esta matéria está prevista na Sec.13(b)(2) do Código Penal israelita, aprovado em 1994, que reclama a jurisdição extraterritorial dos tribunais israelitas no caso de delitos perpetrados contra judeus em qualquer lugar do mundo.
Até ao momento, há algo que fez parar este instrumento que poderia ser muito eficaz para silenciar os críticos da política israelita e do sionismo no mundo inteiro: a carência de «dualidade penal». Para que os tribunais israelitas possam solicitar a extradição de críticos de outros países, devem primeiro tipificar-se como delito estas acções nos demais países. Da mesma maneira, se a crítica dos crimes de guerra israelitas nos territórios ocupados ou de Ariel Sharon supostamente leva à comissão de um delito contra um judeu, ou mesmo entristece um judeu, poder-se-ia abrir a porta à extradição. Assim, por ter escrito este artigo, num futuro próximo posso encontrar-me encarcerado numa prisão israelita.»


Alguns dos membros portugueses do Clube Bilderberg, José Socrates, Santana Lopes, Morais Sarmento, Pinto Balsemão e Durão Barroso

Veja mais em:
http://www.semanario.pt/noticia.php?ID=2573

http://www.ufogenesis.com.br/noticias/noticias.asp?noticias=1017