quinta-feira, junho 08, 2006

Preso politico por um dia, a História do Diabo Malvado


Terça-feira 6 de Junho de 2006,(6/6/6 - O dia da Besta, eu!!)

Era uma vez,

Uma casinha humilde para os lados da antiga Lusitânia, também apelidada a casa Malvada, e 32 anos passados, da antiga revolução que iria trazer de volta a liberdade de expressão para todos, que uma força angelical envia 8 dos seus efectivos à residência do mesmo, por este ter sido entrevistado a um órgão estatal, e na mesma entrevista ter mostrado um tridente devidamente legalizado.

O Diabinho viu o seu lar infernal revirado, a sua vida privada devassada, e em toda esta operação os seus filhotes diabólicos, a mãe dos mesmos, e a avó, incomodados com as actividades subversivas do Devil himself .

Mas as ordens dos 8 anjinhos eram a de procurarem todo e qualquer tipo de material que tivesse a ver com a ideologia satânica que o Diabo defendia, apreenderam assim além do tridente legalizado, anéis, pins, bandeiras do anticristo, objectos de decoração, uma máquina demoníaca eléctrica, a própria besta da Besta, artigos estes de venda livre a maiores de 16 anos e comprados nas lojas da apologia do mal, como a Makro, Amoreiras Shoping, lojas de caça e pesca, etc.

Qual seria então o objectivo, de na terra da liberdade, apreenderem bandeiras, pins e anéis por exemplo? Pura e dura repressão é a resposta, o Diabo tem que ser silenciado, anda a falar de mais, e pior ainda…já fala.

Os meios de comunicação social, todos nas mãos dos inimigos do Malvado, começam então a campanha de demonização do mesmo, apresentando-o como um dos assassinos, ou envolvido na morte de um Orc em 1995, tendo sido provado no tribunal que o Malvado nunca e em tempo algum esteve na presença do falecido em questão, tendo sido ilibado por esse crime, mas isso agora também não interessa nada, vão inclusive os jornalistas – terroristas buscar um processo onde o Malvado é arguido e ainda não foi condenado, sendo que todos os arguidos são considerados inocentes até prova em contrário.. mas isso também não vem para o caso e destilam veneno constante de hora a hora.

O chefe dos anjinhos pertence à raça Orc, no passado tinha defendido o seu amigo pedófilo, perdão, inocente, e veio a publico dizer que se têm que perseguir os Diabos todos.

O Malvado é colocado ao cuidado do Orc-mor que o manda dormir num estrado de madeira durante uma noite, porque até faz bem às costas, claro que foi o mesmo estrado de madeira onde dormiu o amigo do Orc-mor da costa, perdão, do peito, a quando de um processo que eram todos inocentes menos um, o mais pobre e que não pertencia à organização secreta dos Orcs.

7 Junho 2006,

Logo pela manhã o Diabo é novamente mudado de instalações desta vez para ser ouvido por Deus, só teve que esperar 7 horas, novamente num muito cómodo quarto com vista para uma parede e umas grades de ferro.

Finalmente chamado na presença de Deus o Diabo explica tudo o que se passou, e a legitimidade que tem em ter aqueles pertences em sua posse, e um por um, explicou onde e como os comprou, ou o que faziam em sua casa, os mais graves de todos sem duvida os anéis, pins e bandeiras. Deus fez umas perguntas e a Lacaia do Orc começa então o interrogatório politico, perguntou ao Diabo se ele era nacionalista, que tipo de discurso ia ter na Alemanha, a que organização pertencia, qual o seu cargo na mesma, o que queria dizer na reportagem, e por fim o que o levava a estar preso - a arma legal à 5 anos.

Deus não cedeu a pressões e depois de analisar todos os factos mandou o 666 para casa, o Lacaio, neste caso Lacaiazinha do Orc-mor ficou muito aborrecida, fez beicinho e lá foi para casa também.

Quando o Diabo saiu em liberdade estavam à sua espera, os terroristas, mas e acima de tudo, os amigos, esses que nunca abandonaram o Diabo, e que por mais travessuras que este faça estão sempre ao seu lado, demonstrando lealdade, coragem, irmandade, sentimentos estes já à muito esquecidos entre os humanos. E todos juntos foram prestar homenagem aos anjinhos que tão bem glorificam as suas asas, que tiveram o bom senso de não traumatizar os filhos do Malvado nas buscas feitas ao Inferno, estes grandes homens que diariamente e sabe Deus como defendem-nos a todos da invasão de orcs e dos seus crimes, e que cada vez menos têm condições para poderem trabalhar, legitimidade, respeito etc.

Chega o Diabo a casa, o inferno, e já a sua querida mãezinha o tinha voltado a transformar num local aprazível para viver tendo arrumado tudo o que tinha sido revirado…é tão bom ter uma mãezinha assim.

Acabou o I capítulo desta história de Demónios, mas brevemente, existirão mais capítulos do mesmo, porque o líder dos Orcs não descansará enquanto os diabinhos forem exorcizados.